terça-feira, 8 de novembro de 2016

Câmera fotografica Kodak “ Rio 400”.



 Primeira câmera fotográfica Kodak fabricada no Brasil



                                                         Na embalagem estava incluída 01 (um) filme Verichrome PAN 
                                                              127 e 01 (um) Kodacolor X127.


     A  “Rio 400” foi a primeira câmera fotografica fabricada pela KODAK no Brasil, lá pelos idos de 1965. Batizada de “Rio 400 “,em homenagem ao IV Centenário da cidade do Rio de Janeiro.
  Essa maquininha é encontrada com facilidade, com boa aparência  e pleno funcionamento, a preços acessíveis. Quando pesquei uma no mercado, nessas condições,  com caixa e manual,  não tive duvidas em fechar negocio. Está fazendo sucesso  no  Antiquário.
     Registro interessante consta na caixa: Fabricada por FANAMEL – rua Cajuru. 649 – São Paulo, para KODAK Brasileira Ltda – Al Glete, 490 – São Paulo.”

     Nesta oportunidade mostramos fotos enviadas por Estevan Gavioli da Silva que em suas andanças pelo mundo, lá pela Noruega,  registrou com talento belas paisagens.
Não bastasse a beleza das fotos, nosso colaborador complementa-as, comentando com dados interessantes,  cada uma delas. Vejam!

       



     “Captada por volta  das 21h00min, em Bergen, situada no oeste da Noruega. A parte antiga da cidade, chamada Bryggen, que pode ser vista  ao fundo da fotografia – está ligada a uma baia onde se situa uma feira de frutos do mar, e é circundada por casas datando do tempo da Liga Hanseática. Em 1979 passou a integrar a lista do patrimônio da humanidade da Unesco. Bergen foi capital da Noruega desde sua fundação ( 1070) até 1299.”





     “A foto da casa que retrata parte do vale de Flâm, foi tirada com o trem em movimento, a partir  da famosa via férrea  Flâmsbana, que liga Myrdal, em um trajeto de 20 km, sendo a ferrovia mais íngreme do mundo em trilhos convencionais. Apesar de eu não saber, quando a captei, a imagem da fotografia é um dos cartões postais da Noruega e eu encontrei outras semelhantes na internet. A ferrovia que passa por picos nevados, montanhas e inúmeras cachoeiras, levou vinte anos para ser concluída e é considerada uma obra prima da engenharia norueguesa. O mais arriscado e que tomou mais tempo foi a construção dos tuneis – na sua maioria escavados a mão.”









2 comentários:

  1. Amigo Guggiana,
    Sempre me pergunto se a foto é o registro do instante ou se ela atravessa o inesperado ao revelar tons sobre tons da existência. Parabéns ao Estevan por revelar seu pensamento na hora do "clik". São lindas!!
    Abraços,
    Tânia.

    ResponderExcluir
  2. Tânia
    Gosto de teus comentários! Como sempre, estilosos.
    Um abraço

    ResponderExcluir